Joelho

Joelho

 

O que é?

A condromalácia patelar, ou condropatia é uma patologia que acomete a cartilagem do joelho, sendo uma das condições que aparecem com mais frequência nos consultórios de ortopedia do joelho. A condromalácia patelar também é conhecida por síndrome da dor patelo-femoral ou dor anterior no joelho.

Todas as articulações do nosso corpo são revestidas por um tipo de cartilagem chamada hialina. Esse tecido é o responsável por dar forma e permitir que os ossos deslizem e se movam uns sobre os outros, amortecendo os impactos de forma a não causar atritos e outros danos à estrutura.

A condromalácia acontece quando essa cartilagem que reveste a região articular da patela (osso do joelho) é danificada de alguma maneira, geralmente com o amolecimento, surgimento de fissuras ou degeneração. Esse efeito compromete a eficácia da cartilagem em absorver e dissipar os impactos, fazendo com que o restante da articulação (tendões, ligamentos e ossos) sofra as consequências da sobrecarga, causando dor no local.

É importante saber que a condromalácia patelar, ou seja, a danificação da cartilagem por si só não causa, necessariamente, a dor no joelho, uma vez que o tecido cartilaginoso não possui nervos. A dor, porém, aparece na maioria das vezes como consequência da síndrome da dor patelo-femoral, que compromete o bom funcionamento da articulação.

Além disso, o tecido cartilaginoso tem um potencial bastante baixo de cicatrização. A ausência do tratamento adequado pode fazer com a que a lesão evolua para graus mais intensos de desgaste, e até mesmo para uma artrose precoce da articulação do joelho.

Quais as causas?

Uma lesão na cartilagem do joelho pode ser causada por diversos fatores, dentre alguns deles estão:

- Desequilíbrio muscular;

- Sobrepeso;

- Prática inadequada de atividades físicas (como corrida, bicicleta, ou outros esportes que envolvam saltos).

Ou seja, qualquer situação que aumente drasticamente a carga sobre os joelhos sem a devida preparação, pode acabar resultando em uma condromalácia patelar.

Além disso, doenças congênitas; displasias (desenvolvimento anormal dos tecidos); mau alinhamento dos joelhos; e traumas provocados por acidentes também podem ser causas para a alteração da cartilagem do joelho.

Qual é o grupo de risco?

A síndrome da dor patelo-femoral pode atingir pessoas de todas as idades que estejam expostas a situações de risco, como as citadas acima. Apesar disso, ela é comum entre adolescentes e jovens adultos, principalmente do sexo feminino.

Pessoas que praticam esportes, ou atividades físicas que forcem o joelho sem o devido preparo e orientação, e pessoas muito acima do peso também podem fazer parte do grupo de risco.

Quais os sintomas?

Como já alertamos, nem sempre a condromalácia é uma doença sintomática, ainda que seja muito comum que ela venha acompanhada da dor no joelho – que pode ser constante ou aparecer apenas na hora de realizar movimentos como sentar, levantar, agachar, correr, saltar ou caminhar.

Em alguns casos, pode haver também perda de movimento, aumento de volume por conta do acúmulo de líquido dentro do joelho, inchaço, estalidos e crepitações.

A doença da cartilagem do joelho costuma ser classificada em quatro graus, de acordo com a severidade do caso:

Grau 1 e 2:  os sintomas dos dois primeiros graus variam entre sensação de areia dentro do joelho, estalos, cansaço e dor nas pernas. Também é no segundo grau que o paciente pode começar a sentir dificuldade durante a prática de atividades físicas ou em permanecer sentado por muitas horas seguidas;

Grau 3: no terceiro grau os movimentos começam a ficar ainda mais dolorosos e complicados, muitas vezes impedindo o paciente de realizar mesmo as atividades mais simples do dia a dia;

Grau 4: no quarto e último grau (o mais grave), o desgaste da cartilagem já é intenso, assim como a dor no joelho. O osso chamado de subcondral já se encontra exposto, aumentando os riscos da doença evoluir para uma artrose.

É muito importante que o paciente procure por um médico ortopedista especialista de joelho ainda durante a primeira ou segunda fase da doença para que o tratamento seja bem-sucedido.

Como é determinado o diagnóstico?

O diagnóstico da condromalácia patelar costuma ser realizado com o auxílio do exame de ressonância magnética, que é o mais eficaz em mostrar detalhadamente o tecido da cartilagem do joelho, os graus de comprometimento da articulação e a evolução da doença.

Além da ressonância, é comum que o médico se atente em coletar informações relevantes sobre o histórico do paciente e realize também uma série de testes durante o exame clínico, como teste de raspagem ou compressão patelar.

Determinado o diagnóstico, qual o tratamento mais indicado?

O tratamento convencional da síndrome da dor patelo-femoral consiste no uso de medicamentos anti-inflamatórios (nos casos em que houver presença de dor e outros sintomas como inflamação); repouso e sessões de fisioterapia para trabalhar o alongamento e o fortalecimento da articulação.

Vale lembrar que, como a cartilagem praticamente não possui potencial de cicatrização, o que significa que é muito difícil reverter o dano, o tratamento da condromalácia patelar é focado em evitar a progressão da doença.

Mesmo após o desaparecimento da dor, o paciente deve considerar a mudança de hábitos esportivos e a prática de exercícios com impacto reduzido – como a hidroginástica, por exemplo. Pode-se recorrer também à infiltração do joelho afetado ou ao uso de remédios condroprotetores, que ajudam a proteger a articulação.

O tratamento cirúrgico costuma ser indicado apenas em casos mais específicos ou complexos, que envolvem a correção do alinhamento da patela, por exemplo, ou outros procedimentos do tipo. O médico deverá alertar o paciente caso haja tal necessidade.

Mais informações:

Existem muitas maneiras de prevenir a condromalácia patelar, principalmente no caso de pessoas que fazem parte do grupo de risco. Atitudes como perda de peso corporal, em casos de sobrepeso; procura por uma orientação adequada na prática esportiva; bem como uso de calçados adequados, além do cuidado com a intensidade dos exercícios podem ajudar a conservar a cartilagem e prolongar a vida útil do joelho.

Clínica Memorial

Av. Santo Antônio, 53
Jardim Nomura - Cotia - SP
CEP: 06716-710

Fone:
(11) 4616-0406 (WhatsApp)
(11) 4148-8843
(11) 4148-2572
(11) 4206-4376

Fax: (11) 4148-2572

Horário de atendimento

Atendimento médico
Segunda a sexta - 08h00 às 18h00

Fisioterapia
Segunda a sexta - 08h00 às 18h00

Academia
Segunda a sexta - 08h00 às 20h00

Responsável Técnico

Dr. Luis Antonio Buendia
CRM: 79752
Ortopedia e Traumatologia
Cirurgia da mão

Dúvidas?

Fale com um de nossos atendentes.

Por telefone:
(11) 4616-0406 (WhatsApp)
(11) 4148-8843
(11) 4148-2572
(11) 4206-4376

Ou clique aqui e faça sua pergunta.